Diretor Educacional do IPHAR promove Interação de Nova Metodologia em Escolas Públicas

Publicado em 3 de julho de 2017


O Diretor Educacional, Prof. Luiz Henrique Romário Alves está promovendo a aplicação do método Educação Científica: Um Olhar para Educação Básica, método este criado junto com a Diretora Patrimonial, Profª Ludmila Pena Fuzzi, que também esta promovendo a inserção. O Diretor, através do projeto Educação Patrimonial: Fios de Memória, Despertar Identitário e Desenvolvimento Sustentável, tem colocado em prática o ensino da Educação Científica por meio da temática sobre o Patrimônio Cultural, Histórico e Ambiental nas escolas EMIEF Prof. Dr. João Baptista Ortiz Monteiro, EMEF Vereador Joaquim França e EMIEF Padre Silvino Vicente Kunz, todas da Rede Municipal de Taubaté/SP. Os alunos têm pesquisado temas de patrimônios locais, refletindo sua importância quanto espaço de Memória e sua funcionalidade como ponto de uso sustentável. Além da promoção desta reflexão, o ensino de métodos acadêmicos (conforme a proposta educacional criada pelos Diretores do IPHAR) tem sido constante, levando a todos os envolvidos a desenvolverem múltiplas Habilidades e Competências, seguindo a visão destes agentes como protagonistas de seu ensino aprendizagem. O Diretor comenta sobre a importância do Ensino da Educação Científica para Educação Básica “É importante porque os alunos aprendem a pesquisar logo cedo. Com isso, eles desenvolvem competências e habilidades, tais como: a escrita, a leitura, o ouvir e a falar com precisão. Além disso, com a interação com o objeto de estudo e professor, os alunos se sentem cativados para aprender, pois, com o ensino inovador, eles estudam por prazer. Em adição, eles aprendem novas culturas e linguagens, métodos de pesquisa e de análise”. Também autora do novo método, a Diretora Patrimonial, Profª Ludmila Pena Fuzzi complementa “A cientificidade atrelada a educação básica nada mais é do que uma nova forma de pensar a recuperação de problemas ligados a defasagem de aprendizagem e nesta perspectiva que escolhemos aplicar principalmente em escolas públicas: espaços estes que comportamentos periféricos podem ser traduzidos a uma boa educação, conosco, o aluno aprende que potencial não esta ligado a inteligência e sim nas múltiplas habilidades humanas”

Alunos debatendo a problemática de seu tema

Aula de Multimídia sobre os Patrimônios da cidade de Taubaté